O Poder da Ressureição

Nada é tão triste e lamentável como a morte. A morte significa terminação, falta de movimento/inércia, ausência de vida. Quando o Senhor pôs o homem no jardim do Édem (GN 1:15), disse a ele que poderia comer de todas as árvores do jardim (v,16), exceto uma, que era "a árvore do conhecimento do bem e do mal", "porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás" (v,17). Rigorosamente falando, Adão não morreu fisicamente no dia que comeu da referida árvore, contudo, espiritualmente ele estava sem vida. Para Deus a morte espiritual tomou conta de Adão.

Em segunda Reis capítulo 13 versículos 14 ao 21:
“14 Estando Eliseu padecendo da enfermidade de que havia de morrer, Jeoás, rei de Israel, desceu a
visitá-lo, chorou sobre ele, e disse: Meu pai, meu
pai, carros de Israel, e seus cavaleiros!
15 Então lhe disse Eliseu: Toma um arco e flechas;
ele tomou um arco e flechas.
16 Disse ao rei de Israel: Reseta o arco; e ele o
fez. Então Eliseu pôs as mãos sobre as mãos do rei.
17 E disse: Abre a janela para o oriente; ele a
abriu. Disse mais Eliseu: Atira; e ele atirou.
Prosseguiu: Flecha da vitória do Senhor, flecha da
vitória contra os siros em Afeque até os consumir.
18 Disse ainda: Toma as flechas. Ele as tomou. Então
disse ao rei de Israel: Atira contra a terra: ele a
feriu três vezes, e cessou.
19 Então o homem de Deus se indignou muito contra
ele,
e disse: Cinco ou seis vezes a deverias ter ferido;
então ferirás os siros até os consumir; porém agora

três vezes ferirás os siros.
20 Morreu Eliseu, e o sepultaram. Ora bandos dos
moabitas costumavam invadir a terra à entrada do
ano.
21 Sucedeu que, enquanto alguns enterravam um homem,
eis que viram um bando; então lançaram o homem na
sepultura de Eliseu; e, tanto que o cada tocou os
ossos de Eliseu, reviveu o homem, e se levantou
sobre
os pés.”

Neste pequeno excerto bíblico Eliseu é um figura de
Cristo. E o fato de estar para morrer revela uma prefigurção da morte de Cristo. No versículo 14 o rei Jeoás diz “Meu pai, meu pai , carros de Israel e seus cavaleiros!” e no v. 15 Eliseu fala: “Toma um arco e flechas; ele tomou um arco e
flechas.”, nos reportamos a Ap 6:2 que diz: “Vi,
então, eis um cavalo branco e o seu cavaleiro com um
arco; e foi-lhe dada uma coroa; e ele saiu vencendo
e para vencer.”
, nesta passagem o cavaleiro é O Senhor Jesus que está apenas com o arco, porque a flecha da Vitória na Cruz do calvário já foi lançada e foi consumada com sua morte e ressurreição. Esta flecha
atirada através da crucificação representa uma grande Vitória sobre o mundo, o pecado e Satanás(HB 2:14).

Confirmado por Eliseu prosseguir dizendo: “Flecha da
vitória do SENHOR, flecha da vitória contra os siros
em Afeque até os consumir"
. Uma das coisas mais interessantes nesta tipificação
de Cristo e sua morte é que no versículo 18 Eliseu diz
ao rei de Israel para tomar as flechas e atirar três
vezes sobre a terra. Exatamente sobre a terra é uma
alegoria da morte de Cristo em que ficaria três dias
e três noites no coração da terra, “Porque assim como
esteve Jonas três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim o Filho do homem estará três dias
e três noites no coração da terra”(MT12:40).
E de fato podemos dizer Aleluia!, pois ao terceiro dia o nosso amado Senhor Ressuscitou!.

No versículo 20 Eliseu morreu e foi sepultado e os moabitas ao enterrarem um homem lançaram-no na sepultura de Eliseu, quando o cadáver tocou os ossos de Eliseu, o homem foi ressuscitado e se levantou sobre os pés. Mostrando que o Cristo ressureto dá vida a todos os
que o tocam.

E naquele ano a Festa dos Pães Asmos cairia em um sábado, fazendo dele um grande dia (Ex 12:16; Lv23:7). Por isso havia urgência para que nenhum dos corpos permanecessem nas cruzes (Dt21:22-23). Para apressar a morte da vítima quebravam as pernas, pois esta última não poderia erguer-se, forçando os pés para respirar. Os
soldados quebraram as pernas dos dois ladrões (Jo19:32), mas quando chegaram em Jesus e viram que já era morto não lhe quebraram as pernas (Jo19:33). Nosso bondoso cordeiro pascal foi morto, contudo não lhe quebraram osso nenhum(Ex12:46), pois na verdade os ossos
tipificam a Ressurreição, e o poder da Sua ressurreição (Fp3:10; Jo11:25) que subjuga toda a morte (Hb2:14) é inquebrável e invencível. Que possas desfrutar do poder da ressurreição(Fp3:10) tendo a firme convicção de que já nos unimos a Ele na semelhança da Sua ressurreição (Rm6:5).

Fonte do artigo: http://restauracaodaigreja.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não serão aceitos ataques ou ofensas a pessoas ou grupos!