Igreja nas Casas: isso é realmente comunhão?

Por Erin Almand

Igreja
Exatamente o que está a igreja? Mas o que significa igreja? Muitas pessoas associam "igreja" a um edifício, carros estacionados do lado de fora e membros vestidos nos seus melhores trajes de domingo. Igreja se refere a algo que fazemos aos domingos. Nós damos o dízimo. Nós cantamos uns três hinos no culto e ouvimos o sermão. Depois vamos para casa e repitimos tudo no próximo domingo.

Isso pode ser tão significativo ou sem significado algum, depedende da forma como as pessoas encaram. Igreja pode ser a nossa salvação, a nossa rocha, nossa maneira de agradecer e louvar Deus. No entanto, isso só acontece aos domingos, e apenas no edifício, onde todos nós esperamos que haja um estacionamento próximo.


Aqui, é diferente

Meus pais ficaram insatisfeitos com a igreja institucional, quando eu era mais jovem. Embora eu tenha freqüentado escola cristã até a oitava série, eles acharam melhor tentar algo um pouco menos convencional, talvez até um pouco radical.

Nós passamos a praticar a igreja na nossa casa. Não estou querendo dizer que nós passamos a praticar a igreja só quando nossa família se reúne por algum tempo. Não, quero dizer que nosso lar é a nossa igreja. Na verdade, avançando um pouco mais, podemos dizer que nós somos igreja.

Antes de você escrever e-mails zangados para que o editor escolha melhor as postagens, ouçam-me. A Bíblia diz que "onde houver dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles" (Mateus 18:20).

Na Bíblia, a igreja primitiva não possuía um edifício. Eles se reuniam nas casas. Eles sabiam que o tamanho do edifício não importava, ou quantas carroças cabiam no pátio, ou como era grande a quantidade de ofertas nas cestas para a provisão semanal. Tratava-se de um viver comunitário. Tratava-se de comunhão.

Então, na minha família, igrejamos em casa. Como então são praticados os "serviços" da igreja? Nada semelhante aos serviços típicos de uma igreja, ou, semelhante a algo que eu tenha conhecido antes. Nós não temos uma fórmula. Se alguém se sentir levado a compartilhar, às vezes é apresentado um estudo ou lida uma passagem da Bíblia. Às vezes, nós cantamos músicas de louvor e adoração. Minha irmã toca o violão e meu irmão toca bongô. Às vezes nos sentamos lá fora, ou vamos caminhar com os nossos cães e fazemos um estudo na rua mesmo.

Muitas vezes, sentamos para orar, ou apenas para conversamos sobre nossas vidas e preocupações, louvamos e oramos sobre algum pedido feito. Às vezes, nós nos damos as mãos e oramos por um membro da família que esteja doente. Às vezes, outras famílias ou pessoas se juntam a nós e, outras vezes, nos reunimos apenas com os membros da família, quando assuntos como trabalho e diversão vêm à tona. Às vezes, reunimo-nos no período da manhã, às vezes, à noite, e não somente aos domingos. Às vezes, temos comunhão por trinta minutos, outras vezes por algumas horas.

Agora que eu estou cursando uma faculdade que fica noves horas de distância de casa, nós temos encarado essa situação de forma um pouco diferente. Eu vivo em Saint Louis, e não possuo carro. Na cidade, o local onde moro não é exatamente o lugar mais seguro, e tem sido difícil encontrar uma igreja por perto.

Graças à tecnologia, o problema foi resolvido. Meu laptop possui uma câmera para que eu possa conversar com a minha família ou amigos ou com qualquer pessoa que possua um computador com uma câmera de vídeo. Eu posso ver seus rostos, ouvir as suas vozes, assim como eles podem me ver e ouvir. Isso é legal, realmente muito legal!

De qualquer forma, como já não era convencional, nós começamos a praticar o igrejar através da Internet, com o uso de vídeo e salas de bate-papo. Ultimamente, temos visto o livro de Romanos juntos. Adoro o fato de que eu possa continuar nosso “igrejar* em casa”, mesmo estando tão longe, na faculdade.

Pode soar um pouco estranho nossa vida da igreja em casa, mas o que estranho mesmo é que ela funciona de fato. Deus tem se mostrado. Eu não acho que Ele dê atenção ao fato de que muitas vezes queremos falar com Ele em nossos pijamas sem ter tomado banho ou sem qualquer maquiagem. Não interessa a Ele se estamos em minha sala ou no escritório, conversando uns com os outros através da câmera do computador, ou fora, nas montanhas. Tudo o que importa é que estamos lá e que somos igreja.

Veja você, a igreja já não é algo que fazemos aos domingos para, em seguida, excluirmos de nossas listas de obrigações. Ela não é um edifício que visitamos nos fins de semana. A Igreja é o corpo, não o prédio. É uma família. Tudo o que ela requer é que abramos nossos corações com dois ou mais que estejam reunidos, pessoalmente ou on-line, mas em seu nome. Então Ele estará lá.

Erin Almand é estudante da Universidade de Saint Louis. Você pode ler outros artigos de Erin em www.wreckedfortheordinary.com.
Fonte: site de Casa em Casa.
* N.T.: opção de tradução escolhida ao invés de "ter a igreja em casa" (have church at home)
, por melhor exprimir, na língua portuguesa, a idéia de igreja nos lares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não serão aceitos ataques ou ofensas a pessoas ou grupos!