O MODELO PERFEITO

Depois de falar com muitos crentes a respeito da igreja, parece-me que muito do que está sendo discutido não chega a penetrar na questão vital. Quero dizer que parece que a questão central permanece subjacente. Nós não conseguimos chegar à origem e à fonte do poder que está por traz do conceito de igreja. O que é igreja? De onde ela vem? Por que ela está aqui? Como podemos vivê-la e praticá-la? Estas questões mais básicas podem levar-nos para uma jornada, nunca antes negociada.
O meu objetivo ao escrever este artigo não é dizer-lhe como praticar a vida da igreja. Nem estou em posição de lhes dizer que este caminho está certo ou que está errado. Essa questão não diz respeito simplesmente ao que está certo ou errado. É uma questão de vida! Uma questão da vida de Deus! Se vamos procurar esse lugar, o lugar onde há a verdadeira vida, então, pelo menos, nós precisamos estar no caminho para descobri-la.

O MODELO TRADICIONAL

Qual modelo devemos utilizar como padrão para o viver da igreja? Bem, a resposta depende da pessoa para qual você perguntar. Muitos crentes estão atualmente organizados em grupos cristãos chamados denominações. Essas denominações são normalmente controladas por um poder central onde as diretrizes da igreja são decididas, para serem seguidas pelas congregações locais. Eu suponho que esse caso se refere a um modelo organizacional. Mas de onde essa organização adotou esse modelo? Normalmente, esse modelo foi definido pelos fundadores da organização. E os fundadores geralmente implantam um modelo baseado parcialmente nas Escrituras e parcialmente sobre as tradições humanas. Mesmos entre os grupos que saíram das denominações há muitos que ainda adotam esse tipo de modelo. Esse modelo implica a utilização de um prédio para a realização de diversos serviços, com um pastor, um presbitério, diáconos, escola dominical, várias comissões, cultos, reuniões de oração e etc. Mas será que esse modelo é correto? É uma fundação adequada? Será que a forma como praticamos a igreja não provém de uma mistura de tradições e Escrituras? Eu penso que a resposta é óbvia. No entanto, o próximo modelo comumente utilizado não é assim tão evidente.

O MODELO DA IGREJA PRIMITIVA

O segundo tipo mais popular de modelo de igreja é o que eu chamaria de "modelo do Novo Testamento". Este modelo se baseia na revelação do Novo Testamento acerca da forma como a igreja primitiva praticava sua fé. Essa é provavelmente a posição onde você está e onde estão as pessoas que estão lendo este artigo.
Como nós praticamos a igreja? É simples, basta copiar o que os crentes do primeiro séculos faziam! Uma vez que suas práticas estão na Bíblia, eles devem ter razão...correto? Afinal, nós queremos ser bíblicos e seguir a “Palavra”, como a única forma de ter certeza que estamos adotando o modelo correto. Certamente, o Novo Testamento traz o exemplo da prática da igreja. Pois bem, caros amigos, há alguns problemas com esta idéia.
Antes de tudo, há muitas maneiras de se interpretar as Escrituras. Você consegue perceber que a maioria dos cultos utilizam o Novo Testamento como o seu modelo para a vida da Igreja? Sim pessoal, é um fato histórico que as mais terríveis atrocidades cometidas contra a humanidade foram perpetradas em nome da "fidelidade bíblica"! Agora, por favor, compreendam-me. Não estou dizendo que devemos ignorar os ensinamentos e os exemplos que temos nas Escrituras! Essas coisas foram escritas como exemplo para nós, para nosso ensino. Temos de ser claros, no entanto, que estas coisas escritas não são realmente um modelo, mas sim um registro de pessoas que estavam (muito singelamente) seguindo um modelo! O Novo Testamento registra para nós algumas experiências de pessoas que viram um modelo “real”. Eles não eram o modelo; eles estavam seguindo o modelo. De onde vem esse modelo?

VOLTANDO PARA A FONTE

A fim de encontrar o modelo perfeito para a vida da Igreja, antes, temos de voltar para a igreja primitiva. Qual foi modelo deles? Por que fazer uma cópia de outra cópia se podemos ir diretamente para a fonte original? De onde a igreja vem? Qual o modelo que os doze apóstolos compartilharam com os crentes do primeiro século. Veja, Jesus trouxe o modelo e o viveu diante dos doze! Foi assim que eles aprenderam a viver a vida da igreja.

O MODELO PERDIDO

Este modelo que o Senhor compartilhou com seus discípulos é algo que foi quase totalmente perdido em nossos dias. Eu pessoalmente só ouvi algumas pessoas falarem sobre isso! No entanto, é o modelo perfeito, o padrão absoluto para a igreja! Este não é um modelo que seja possível copiar como se faz com um carimbo, ou que possa ser apreendido em algum programa ou com um sistema de fórmulas e, em seguida, implementado! Este modelo só pode ser vivido! Este modelo é uma experiência de relacionamentos!
O Senhor Jesus trouxe a esta terra uma experiência que tinha antes na eternidade. Essa experiência ocorreu fora do espaço e do tempo. Essa experiência ocorreu no interior do Deus Vivo! Teu Senhor tinha comunhão (koinonia) com teu Pai através do Espírito Santo antes da criação. Essa "comunhão" é a base do relacionamento que ocorria na Trindade (ou divindade). Quando digo "divindade", estou falando dos três num só Deus, Um em três Pessoas, o Pai, Filho e Espírito Santo. A comunhão dEles, a vida juntos, o amor, a comunicação e o compartilhar é a base do modelo perfeito! Veja que a base para a igreja é a divindade! Deus é a primeira Igreja! Jesus trouxe essa "comunhão da divindade" com Ele para a terra e essa comunhão foi vivida e vista plenamente por doze homens. Eles, por sua vez, compartilharam essa comunhão com outras pessoas.
Irmãos e irmãs, se aprendermos a experimentar e viver esse modelo, nós aprenderemos tudo sobre a igreja. Nós precisamos desesperadamente encontrar esse modelo perfeito!

Milt Rodriguez
Extraído dos sites os Restauradores e Auxílio para as Igrejas nas Casas.

Um comentário:

  1. Irmão César Augusto: Quero fazer contato com irmãos que vivem a igreja SÓ nas casas, e estão disposto a deixar tudo, renunciar tudo e seguir o nosso mestre como esta em,
    Mc 10 28 a 30

    28 E Pedro começou a dizer-lhe: Eis que nós tudo deixamos, e te seguimos.
    29 E Jesus, respondendo, disse: Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho,
    30 Que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições; e no século futuro a vida eterna.
    31 Porém muitos primeiros serão derradeiros, e muitos derradeiros serão primeiros.

    Pode fazer suas perguntas para cesarluz@gmail.com.

    ResponderExcluir

Não serão aceitos ataques ou ofensas a pessoas ou grupos!